10/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 4 - Dying of wills!

Resultado de imagem para FanFiction Justin Bieber: Dangerous life

Antes de começar esse capitulo, eu queria falar para as pessoas que não gostaram da minha decisão de excluir a fic... Primeiramente que uma escritora que não está confortável escrevendo algo, ela não escreve bem, e é ai que surge a vontade de abandonar e tal! Eu realmente não to nem ai pra quem não gostou, por que a maioria aprovou e me disseram que está MUITO melhor que a versão antiga. Então eu estou feliz com isso. Quem gostava da versão antiga, só tenho á dizer... Que pena, mas foi um erro eu escrever aquilo, por que eu realmente odiava. Obrigada a todos que gostaram, e vamos a mais um cap da nossa históriaaa!!!!!!

LEIAM AS NOTAS FINAIS!
Imagem relacionada
Skylar Mayer P.O.V
- Você vai me contar agora o que ele fez e falou - falei me virando pra ela, que estava atenta na estrada.
- Ele me pegou na escola sem eu ver e me colocou no carro dele e me levou para a casa do Justin – ele suspirou – Eu comecei a ameaçar ele falando que se ele não me soltasse eu nunca mais o perdoaria e ele me trancou em um quarto e depois de um tempo ele voltou lá mais calmo, ele estava muito nervoso então a conversa não deu em muita coisa, ficamos gritando um com o outro e ele falando que eu sou dele, e que eu tenho que voltar pra ele – ela disse e eu revirei os olhos.
- E o que você falou? – perguntei e ela deu uma risada.
- Que eu não quero mais nada com ele e que é para ele parar de pedir – ela deu ombros e eu gargalhei

- Nunca achei que você conseguiria realmente agir assim, você sempre foi uma corna idiota, quando se tratava do idiota do Ryan – falei e ela me olhou brava – O que? Só falei verdades – dei ombros.
- Nem eu achei que conseguiria, mas vê-lo correndo atrás de mim, me da uma vontade de piorar cada vez mais – ela disse soltando uma risada gostosa – mas eu sinto falta daquele corpo gostoso – fiz cara de nojo.
- Que corpo gostoso? – debochei – Aquele cara é o Gangster mais feio que tem em Atlanta – falei debochando mais ainda e senti sua mão me acertar na coxa. – VADIA – falei passando a mão no lugar por causa da ardência.
- E você e o Bieber? Vai fugir desse assunto também? – ela me olhou sapeca – Ou acha que eu vou esquecer aquela cena de pornô que eu vi de vocês? – ela gargalhou e foi a minha vez de acertar sua perna, mas como eu tenho um pouco mais de força, o meu tapa foi mais forte. – VADIA – ela disse apertando o volante com força por causa do tapa.
- Ele que não aguenta e acaba me beijando – me defendi – A gente estava brigando, discutindo, eu achei que ele me mataria, mas na hora que eu achei que ele viria para me quebrar toda, ele começou a me beijar e ficou manso, desorientado e com muita vontade de ter mais, mas você chegou e ele ficou na espera – gargalhei.
- Então se eu não tivesse chegado você teria transado com ele? – sua duvida fez minha cabeça agora.
- Não, eu acho que não – falei sem ter certeza, pois Justin sempre foi meu alvo, sempre quis tê-lo pelo menos por uma noite, se eu tivesse uma chance... Eu acho que não desperdiçaria, porem é que eu vejo que ele não é resistente quando se trata de mulheres, então jogar com ele seria um prazer maior ainda. – Quero deixa-lo louco primeiro – ri pelo nariz e ela me acompanhou.
O assunto morreu por alguns minutos quando o transito ficou ruim e ela focou em seu trajeto.
- PORRA COMO EU ME ESQUECI – gritei e America levou um susto e quase perdeu o controle instantâneo do carro.
- PUTA – gritou colocando uma mão no coração.
- Eu cheguei na casa do Justin, com o nome de Piper, e você acredita que me liberaram e chegou lá dentro o Justin estava a espera dela? – a boca de America estava quase indo para o pé de tão chocada que ela estava.
- O QUE? Aquela vadia além de ter papo com o meu namorado, ela tem com o Justin também? – a raiva no rosto de America era evidente. – Skylar, teremos que dar um jeito nisso, aquela vadia está com intimidade demais pro meu gosto, nossos homens, nossos alvos, nossa vida – ela disse trincando os dentes – Ou ela sai do nosso caminho por bem ou por mal.
- Por mal é mais divertido – sorri demoníaca e America também.
- Qual o plano?
- Foder com a vida dela, igual a gente fez com as outras vadias que entraram no nosso caminho – falei decidida.
- Você não acha que essas atitudes nossas não são Deja vu da nossa vida antiga não? – ela disse me olhando firme.
- A gente não largou aquela vida, America! A gente largou o que nos fazia mal daquela vida – expliquei meu ponto de vista – Eu nunca quis largar realmente, porem foi preciso devido aos riscos que estávamos tendo – suspirei – Mas o perigo sempre vai estar com a gente, e a maldade no nosso ombro direito.
Chegamos à escola e fomos para a sala, levamos uma advertência por ter saído na hora da feira, mesmo explicando que foram sérios assuntos, mas essa escola só tem pau no cu, então ninguém entende. Queria explicar pra eles o que realmente aconteceu pra eles verem e depois que estiverem arrependidos... Bala neles.
Já estávamos em casa e America estava preocupada por que Ela pegaria muitas recuperações e a mãe dela a deixaria de castigo, e a vadia está tentando me convencer em fazer os testes finais pra ela, a America é doida? Essa garota deve ter merda na cabeça, por que não manda a Emma? Maria? Pedro? Qualquer um! Eu nem ia fazer esses testes por que eu já passei.
- Você fumou quantas? É claro que não – disse me jogando no sofá, trocando mensagens com minha mãe, que por sinal estava fazendo um interrogatório pra mim. Um dos motivos deu não me foder tanto, é que minhas notas são boas, e quando minha mãe vê as notas, ela fica meio receosa em proibir tudo.
- Skylar, se eu ficar de castigo, a gente não sair até o verão – ela disse tentando me convencer.
- Você não – concertei – EU sim – sorri para implica ela. Ela atirou uma almofada em mim e eu revirei com outra.
- Por favor, eu levo você na casa do Bieber todo dia – gargalhei alto com o modo que ela tentava me convencer.
- Se eu quiser eu vou lá, eu tenho carro – ri – Você que vai ficar sem o seu – gargalhei alto e ela estava batendo o pé de raiva e queria me matar por eu estar debochando de sua cara.
- Você é uma péssima prima, ridícula, mano você só serve pra dar essa sua boceta pros caras – ela disse se sentando com cara de brava.
- E para tirar notas altas – falei e ela me olhou mortalmente e veio pra cima de mim enquanto eu ria alto.
- SKYLAR EU VOU TE MATAR, SUA VADIA! – ela montou por cima de mim e começou a me estapear.
- Não ta fazendo nem cosquinha – falei com deboche seus tapas começaram a ficar mais forte.
America em um ato rápido me jogou no chão e passou suas pernas por dentro das minhas me virou de quatro no chão, em seguida ela passou os braços em volta do meu pescoço e tombou para trás, caindo em um mata leão perfeitamente encaixado. Agora eu faço até as recuperações pra ela.
- EU FAÇO – falei sem ar e ela me soltou e eu me sentei e senti seu corpo caindo sobre o meu de novo.
- EU TE AMO – ela disse lambendo minha bochecha.
- Só por que você conseguiu fazer esse golpe – falei fazendo careta enquanto massageava meu pescoço. – Porra você apertou – falei tossindo.
- Aprendi com a melhor – ela disse sorrindo e eu sorri também.
Sentei-me no sofá novamente e recebi uma mensagem de Pedro.
“Vamos ao Klipper hoje, querem ir?”
- Pedro quer saber se a gente quer ir ao Klipper hoje com a galera – falei pra America.
- Quem vai? – Ela perguntou e eu mandei uma mensagem para Pedro, perguntando.
“Eu, Emma, Maria, Luke e Thiago”
Mostrei a mensagem para America e ela concordou, respondi que iríamos e ele mandou seu típico coração dizendo o quanto me ama. Pedro era um bosta, mas eu o amava tanto.
Quando ficou escuro, eu e America tomamos um banho e nos arrumamos simples, pois seria uma lanchonete. Não nos produzíamos toda para ir lá, mesmo já tendo feito isso, e todos acharam que nós éramos celebridades, enquanto a Emma fingia ser uma fã. Aquele dia foi hilário!
Chegamos e avistamos todo o pessoal sentado e dando risada.
- As princesas chegaram – Luke disse tomando um gole de sua bebida e veio até mim e America e nos selando. Ele sempre fazia isso, cumprimentávamos nós duas com selinho. Era sempre só nós duas. Era estranho, eu sei, mas a gente e todos que nos conhece já acostumaram.
- Olá, galera – falei sorrindo e me sentando. Todos nos cumprimentavam e Pedro se sentou ao meu lado e começou a brincar com meu brinco.
- Já pedi pra você – ele disse ao pé do meu ouvido
- Por isso que eu amo você – falei rindo e beijei seu rosto.
- Já que me ama, por que não me arruma uma amiga sua? – ele deu um sorriso sapeca.
- E suas vadias?
- Cansei delas – ele deu ombros e meu pedido chegou.
Todos que estavam com algo para comer, começaram a se deliciar e a conversar.
- Não acredito que você ficou com a Julie! – Emma fez uma cara de nojo para Luke
- Sempre soube que esses dois iriam ficar – America disse dando um gole sem sua coca.
- Desde o jardim da infância, que você gosta dela – falei achando bonitinha a situação. Emma detestava Julie, por que uma vez, ela foi tirar satisfação com ela sobre um assunto e as duas acabaram brigando.
O papo ia e vinha e do nada, America se levantou para atender ao telefone ficou alguns minutos lá fora. Já imaginava quem era para ocupar tanto seu tempo em uma só ligação.
- Skylar – ouvi sua voz atrás de mim e eu me virei a olhando, assim como todo mundo que estava na mesa. – Vem cá – ela disse com uma expressão nada boa e eu me levantei rapidamente e fui até ela.
- O que foi? – perguntei assim que passei pela porta de entrada e senti o vento frio bater contra meu rosto.
- Era o Ryan – ela suspirou – Ele precisa da minha ajuda.
- Que tipo de ajuda? Vai cair na dele? – vi seus olhos marejar. Eu nunca amei, e quando eu vejo a dor nos olhos de America eu vejo que isso deve ser difícil quando se trata de alguém que é dono de seu coração.
- Ele e Justin foram atingidos, estão feridos, e Chaz e Chris não aparecem, ele suspeita que vai ir homens para acabar com o serviço – vi sua lágrima escorrer. Eu realmente não sabia o que fazer.
- Então vamos caralho! – exclamei – Isso é motivo sim, mas se não for verdade, se prepara que hoje é o último de vida dele – falei e voltei lá pra dentro para avisar com a galera que a mãe de America mandou a gente ir embora. Todos assentiram e fomos. Uma coisa que eu detestava, era largar meus amigos para fazer outra coisa. Isso doía por que momentos com eles são únicos, eu fico imaginando quantas risadas eu vou perder quando eu for embora, cada assunto. Tudo. Odiava isso. Esse sentimento do caralho que eu sempre sentia em muitos momentos. Eu tenho que parar de ser sentimental com umas coisas, isso acaba comigo.
Eu estava dirigindo em quanto America olhava a localização em seu celular e me dava as coordenadas. Era um lugar estranho e eu estava começando a ficar com medo. Imagina se isso fosse uma furada para Ryan descontar tudo que ele quer?
- Acho que isso é furada – falei e ela limpou seu rosto e meu olhou.
- Por que acha isso?
- Olha a droga do lugar que estamos caralho! – falei estressando, eu estava quase virando o carro e sumindo dali.
- É aqui, ele está por aqui – ela disse decidida e eu parei o carro no lugar que ele mandou.
America saiu correndo e começou a procurar, eu apenas estava sentada no banco do mesmo jeito, revirando os olhos e bufando constantemente.
- SKYLAR! – ouvi o grito de America e eu saí do carro correndo e fui de encontro a ela.
- Que droga é essa? – falei olhando para os dois jogados no chão gemendo de dor.
- ANDA CARALHO! – O Bieber disse entre gemidos e se contorcendo – ELES VÃO CHEGAR! – ele disse e quando eu pisquei, a America já estava levando Ryan para o carro. Eu estava sem opção.
- ANDA AMERICA! – gritei – VEM PEGAR O BONITO AQUI – falei sorrindo e senti minha perna ser agarrada e suas unhas cravaram na minha pele.
- Se eu não tivesse assim, eu te matava – ele disse tossindo forte logo em seguida.
- Matava nada... - debochei e quando vi que ele estava realmente com dores fortes, eu o peguei e comecei a ajuda-lo a ir até o carro, quando ele entrou, joguei ele de qualquer jeito e fui para o banco. Ouvi os dois gemendo lá atrás e revirei os olhos. America estava com a cabeça virada para o vidro, ela não queria que Ryan visse suas expressões de preocupação. Ela estava mais que certa, se não ele faria questão de usar isso contra ela.
- America – ouvi a voz irritante de Ryan a chamar. Ela apenas resmungou um “hum?” e ele continuou – Podemos ficar na sua casa hoje? – ele disse soltando um suspiro forte.
- Não – respondi por ela.
- Cala boca, vadia – foi a vez de Justin – Eu prefiro pegar um voo pro Canadá agora. – ele disse com certa dificuldade e eu sorri.
- Pelo menos uma coisa boa saiu da sua boca – sorri pra eles – Voltam pro Canadá sim! Vão fazer um favorzão – America revirou os olhos.
- Não dá, e você sabe disso – ela disse apenas e ele resmungou algo como “Que droga!”. – E sua casa, Skylar? – Eu esperava ouvir isso de qualquer pessoa, menos da America.
- Ta lá, no mesmo lugar – fingi que não havia entendido.
- Qual é? Olha o estado deles, a coisa ficou feia, pela primeira vez, se eles estão querendo ficar na minha casa, é por que sujou mesmo – ela disse me olhando.
- Eles não – Justin disse – O Ryan – concertou.
- Cala boca, antes que você morre ai mesmo no banco – falei me virando pra ele.
- Skylar? – America insistiu.
- Não vou deixar dois caras que eu não conheco, ainda por cima mafiosos, dentro da minha casa sozinhos – falei negando
- A gente fica lá, também – ela insistiu. Mas que porra, ela tem que se decidir, vai ceder ao Ryan ou vai mandar ele se foder.
- Você só fala merda. – falei suspirando.
- Por favor, olha como eles estão.
- Você vai me pagar caro por isso – falei trincando os dentes e fomos calados até a minha casa.
Peguei minha bolsa com minha penca de chaves e peguei Justin de qualquer jeito e comecei a leva-lo pra dentro, e America carregando o Ryan. America mandou uma mensagem pra mãe dela, falando que eu e ela iríamos dormir na minha casa por que a casa estava muito suja e a piscina também, e iríamos lavar para fazer uma festa surpresa para o dia que Malton chegasse. Meu irmão maldito. Ela concordou e então ficamos por ali. Justin e Ryan já iam sentar no meu sofá, quando eu os repreendi.
- VOCÊS QUEREM TERMINAR DE MORRER? – gritei os impedindo de quase fazer a merda que iriam fazer. – SOBEM AGORA E TOMEM A PORRA DE UM BANHO – falei apontando para a escada e sem falar mais nada, Mare começou a subir com Ryan. Pelo amor de Deus. Peguei Justin e começamos subir. Sua cara de bunda me deixava estressada, ele fazia de tudo para não precisar da minha ajuda.
- Olha só garoto, se você não precisa da minha ajuda, você pode descer essas escadas e ir andando para a sua casa – falei irritada com seu desdém em apoiar ele em mim.
- Cala a porra da boca – ele disse mais irritado ainda e foi subindo junto comigo. Abri a porta do meu quarto e percebi que os olhos de Justin fitavam o lugar, cada detalhe, ele estava observando tudo.
- Está olhando o que? Quer planejar um assalto na minha casa? – falei com deboche e o levei até o banheiro.
- Não assalto qualquer coisa – ele disse frio, desmerecendo minha casa.
- Idiota, e aqui não toma banho qualquer lixo – trinquei os dentes – Minha casa é linda e confortável, agora dá o fora daqui – falei apontando para a porta e ele me olhou sério. Olhei para o chão e estava cheio de respingos de sangue.
- Você é uma otária – ele disse simples – Se eu sair daqui, eu vou passando sangue parede por parede, cair sem querer no tapete, e tombar sem querer no seu sofá.
- Quer saber? – falei cruzando meus braços – Você é arrogante demais, você está na minha casa, e fica fazendo umas merdas dessa. – me irritei, nível 100 – O chuveiro ta ai, toalha está ai, o quarto do meu irmão é o segundo do corredor, pega roupa, toma seu banho e se acomode, amanha cedo dá o fora da minha casa! – falei simples e cai de encontro a minha cama e ele apenas me olhou sério por alguns instantes e entrou no banheiro.
Fiquei com fone de ouvidos, escutando a música bem alta pra ver se a raiva passava. Como eu pude ser afim de um cara tão estúpido? Ele é um filho da puta arrombado, que tem mais é que se foder.  Eu estava distraída fitando a TV que estava passando qualquer coisa e eu nem estava escutando por causa dos fones.
- PORRA – ouvi a voz do Justin dentro do banheiro, foi tão alto que eu ouvi pelos fones. Os tirei e fiquei escutando. Ele gritando, com certeza era os ferimentos em choque com a água.
A porta ao lado da TV se abriu e saiu o maior filho da puta gostoso dela. Enrolado em uma toalha com umas gotas de água escorrendo em seu corpo. INVEJA DELAS. Como um cara assim tem que ser tão merda? Bem que falam que esses cafetões gostosos são os piores como pessoa, mas os melhores na cama. Olha as porra que eu estou pensando.
- Vai ficar me encarando assim ou vai bater logo a foto? – debochou e ameaçou a tirar a toalha da cintura. Ele estava escorado na parede, pois estava com ferimentos por todo o corpo.
- NÃO TIRA! - Avancei pra fora da cama antes que ele fizesse tal ato.
- Você está doida pra ver, e pode ir lá pegar a droga da roupa?  - ele disse me olhando sério.
- Vai lá você! – falei indignada com sua folga.
- Porra, Skylar lá, vai lá, meu corpo ta doendo pra caralho – ele disse fazendo uma careta e eu soltei uma risada. Levantei-me e fui para o quarto do MEU irmão  e percebi que Mare estava lá procurando algo pra Ryan também. 
- Ele esta tentando a todo custo ficar comigo, no banheiro ele fez umas coisas que eu me segurei em um fio pra não me deixar levar – ela disse assim que me viu entrando no closet do meu irmão.
- Mata sua saudade e depois volta a sacanagem – gargalhei e ela sorriu pra mim. Sabia que isso era um “ENTÃO EU VOU CARALHO”.
Peguei uma roupa que mais combinaria com Bieber e levei para meu quarto, quando abri a porta ele estava na minha parede de Jiu jitsu, olhando meus cinturões, medalhas e faixas enroladas, todas que eu já peguei. Ele olhava tudo aquilo com uma análise de descobrimento de algo interessante. Não sei como explicar, mas seu olhar estava atento naquilo.
- Você parece que se dedicar muito nisso, e tem muita habilidade – ele suspirou – Dou valor a isso – ele disse me olhando. Ele sempre é assim? Bipolar?
- Me dedico até demais – falei suspirando e jogando nele a coeca, a blusa, e a calça saruel favorita do Malton que ele deixou aqui antes de ir pra faculdade. Justin deu uma gemida quando as roupas bateram contra seu corpo e eu ri e me sentei na cama. – Se troca depressa, eu vou tomar meu banho e descer pra vocês comerem – falei e ele desceu a toalha na minha frente e meus olhos se assustaram e eu virei para o outro lado depressa – JUSTIN CARALHO – gritei e não ouvi nada da sua parte. MANO AQUILO ERA MUITO GOSTOSO.
O olhei novamente e ele estava terminando de colocar a cueca, eu estava sentindo meu corpo pegar fogo, minha intimidade ficar encharcada e sensível. Desgraçado! Olha o que ele faz comigo.
Percebi que mesmo ele passando a toalha nos ferimentos, alguns lugares ainda saíam umas gotas de sangue e ele estava ficando irritado com isso.
- Senta aqui – falei apontando pra cama, ele me olhou com certa duvida, e se arrastou para a cama e eu fui ao corredor no armário que tinha lá e peguei umas coisas de machucado e levei pro meu quarto. Ele estava sentado passando a toalhas em alguns lugares que estava machucado. Peguei a cadeira da minha cômoda e coloquei de frente pra ele, peguei o algodão e o molhei com um remédio para secar machucados que minha mãe havia comprado. Comecei a passar e ele ficava sério aguentando a ardência calado e sem expressão.
- Pode fazer careta – falei soltando uma risada – Eu sei que está ardendo – falei e ele umedeceu seus lábios e os entreabriu para falar algo.
- Olha pra minha cara e vê se eu ficar gemendo por causa de um remédio para ferimentos? Tenho cara de viado? – dei uma gargalhada com o jeito que ele falou, como se eu tivesse o ofendido.
- Desculpa, senhor machão – soltei uma risada e de relance vi que no canto de seus lábios tinha um sorriso. Olha, consegui fazer o capeta sorrir. Que lindo!
Fui ajeitando os ferimentos do abdômen e braços, agora vou dar um jeito nos cortes de seu rosto, seu queixo estava machucado então me aproximei e comecei a passar o algodão e dessa vez eu tive que apertar por que ela um corte fundo, então senti as mãos de Justin apertando minha cintura para descontar a ardência que ele sentia. Isso estava me incomodando. Coloquei um curativo e a respiração do Justin acelerou, sua mão subiu da minha cintura para pouco abaixo do meu peito, meus olhos foram para suas mãos e depois para seus olhos, eles estavam atentos em mim. Minhas mãos pararam de passar o algodão na sua bochecha e fui sair de seus braços, mas ele me apertou contra seu corpo me deixando completamente em pé, com sua cabeça na altura dos meus sérios, seu rosto foi de encontro a eles e ele deu um beijo na curva dos meus seios que estavam marcados por causa do sutiã, me fazendo arfar sem eu querer, Justin voltou a olhar pra mim e me puxou com extrema força pra cima dele e me agarrou. O beijo estava violento, cheio de fúria, excitação, ele estava se segurando comigo, disse eu tinha certeza. Ele parou o beijo passando as mãos nos lábios machucados e eu ri.
- Vai dar de engraçadinho, dá nisso – falei rindo e me levantei e me ajeitei. – Vou descer pra pedir algo pra vocês comerem, toma aqui – fui até minha cômoda e peguei um comprimido de dor que eu tomara depois dos campeonatos, quando eu estava machucada e cheia de dor. - Toma ele, ele é forte, mas a dor vai sair, e você vai dormir como pedra – ele pegou da minha mão e tomou o remédio com a água da pia, ri daquilo e sai do quarto. Vi de relance ele colocando a calça que eu havia deixado pra ele, e depois seu corpo já estava perto do meu. Ele estava fazendo caretas para descer, mas eu dei ombro e continuei. 

CONTINUAAAAA?
ESSE CAPITULO MERECE MAIS COMENTÁRIOS!!
COMENTEM POR FAVOR, ISSO É MUITO IMPORTANTE PRA MIM. EU ME DEDICO PRA CARALHO PRA ESCREVER, NÃO CUSTA NADA COMENTAR CERTO?

Tomara que vocês estejam gostando, me deem a opinião de vocês, ela é mais importante ainda. O próximo capitulo já está pronto, aliás, ele ia ser esse, mas ficou MUITO grande, então eu dividi o capitulo em dois, então se comentarem rápido, eu posto ele mais rápido ainda. De preferencia amanha.

BLOGS ATIVOS:

10 comentários

  1. Uhhhhh continuaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  2. Tu é a pior vadia de todaaaaas.. deixa a gente esperando cara, isso não se faz. #Chateada obs: varia modo de dizer.
    Esse capitulo ta otimooo, continua logo pelo amor de Deus. Ansiosa pelo próximo. Bjj

    ResponderExcluir
  3. continua pfvr leitora nova vou criar a conta bjs bruna

    ResponderExcluir
  4. Continua amor, to amando essa nova fic.. Não demora muito não vei, fico anciosa pra ver.. af kkk Posta logooo

    ResponderExcluir
  5. Maravilhosooooooo!!! Continuaaa!!❤️❤️

    ResponderExcluir
  6. MARA MARA MARA, é só o que eu tenho a dizer
    Bjs

    ResponderExcluir