02/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 3 - His target!

Resultado de imagem para chanel celaya gif

Skylar Mayer P.O.V

America e eu ficamos domingo todo assistindo filme, e segunda fomos para escola e chagamos atrasadas, estávamos esperando na secretaria até começar o próximo horário. Eu estava distraída mexendo em meu telefone, morta de sono, quando America bateu minha perna aflita e me olhou, o que essa louca quer?
- O quer foi, caralho? – perguntei estressando pelo seu modo abafado
- É a Piper – ela disse apontando para a Piper que estava sentada do outro lado distraída com seu celular e seu fone.
- Eu sei, ela estuda com a gente desde a primeira série – falei com desdém. Nós e a Piper já brigamos diversas vezes, o que a America tem na cabeça? Ela sabe que eu conheço aquela vaca.
- Ela tava na festa do Bieber – quase engasguei com minha própria saliva.
- O que? – perguntei incrédula – Será que ela nos viu? Por que ela estava lá? Ela não frequenta esse tipo de lugar.
- Eu lembro que na hora que eu estava procurando o Ryan, eu vi ela conversando com um cara lá, ela estava com vestido extremamente curto, com uma maquiagem igual de uma vadia, eu custei pra perceber que era ela, ela estava tão chapada que nem se ligou de mim – explicou e eu estava pensando em que providencia tomar.
Eu e a America mudamos para essa escola, por que nós éramos garotas do mundo, a gente inacreditavelmente éramos terríveis, nós fugíamos para ir a festas, nos drogávamos, bebíamos e tudo isso começou com nossos 15 anos, porém a America sempre conseguia se segurar, eu por outro lado quando eu começo, eu não consigo parar, então já que as pessoas da antiga escola  frequentava os mesmos lugares que nós, acabamos sendo esparradas para toda a escola, nós nos mudamos pra essa nova escola, porém com a nossa saída, começamos a ser imas e várias pessoas vieram também. Pedro, Emma, Piper, George, Melissa, eu e America. Eles falavam que aquela escola só tinha graça comigo e com Mare, menos a Piper, ela se mudou para Ca por que a 1 ano e meio seu pai foi transferido de pedagogo para diretor e ele veio trabalhar aqui. Infelizmente. O cara era uma droga de pessoa. Nessa escola as pessoas são mais cabeça, meninas cheias de detalhes cor de rosa, imaginando em qual curso da faculdade irão fazer. Então era o lugar certo para duas garotas fazer o que queria e ninguém ver nem saber.
- Como vamos intimida-la? – perguntei olhando firme para America.
- Daquele jeito – ela piscou e eu sorri. Deixamos nossas bolsas no banco e nos aproximamos de Piper e ficamos paradas com os braços cruzados em sua frente, ela nos olhos e retirou os fones e revirou os olhos bufando.
- O que vocês querem comigo? Não estou a fim de discutir essa hora da manha – ela disse com certo deboche e eu ri.
- Nós não viemos brigar – America disse com um sorriso no canto dos lábios.
- Nós viemos te falar que vimos você simpatizando aquela festa sábado – falei arqueando apenas uma sobrancelha, aquele olhar de maldade e ela ficou pálida de repente e se levantou ficando de frente para nós.
- Como sabem? Eu não vi vocês lá – ela disse com um tom de raiva.
- Por que você estava distraída demais bebendo e conversando com aqueles caras – America falou rindo e ela a olhou feio.
- Vocês não podem falar isso pra ninguém, por que se falarem eu também falo que estavam lá – ela disse com tom ameaçador como se isso intimidasse a gente. 
- Amor, somos Skylar e America, todo mundo sabe que lugar vamos – ri – Mas você? Filha do diretor? A Barbie delicada da escola? Ficar chapada em festa daquele tipo de gente e chegar aqui na escola com essa cara de patricinha? – debochei.
- Aquela festa foi fechada e exclusiva, não sei como entraram, vocês por acaso conhecem o cara que deu a festa? – ela perguntou fazendo um bico como se tivesse um passo a frente de nós. Querida nós já chegamos à linha de chegada se quer saber.
- Amor, nós – America apontou para mim e ela – Somos nós – riu – Não precisamos ser convidadas, qualquer festa dada, nossa presença predomina, todos nos conhecem todos sabem de nossas capacidades, eles fazem questão de nos ter nas festas – America sempre pega pesado, por isso eu amo ela.
- Ir a uma festa – Piper deu uma pausa – Não conhecer os próprios que deram, dançarem e se drogarem e depois ir embora e ninguém nem ligando... Isso parece ser vantagem para vocês? – ela tentou debochar.
- Primeiro que a gente não se drogou, nem bebemos, nós demos um belo show que deixou TODOS os olhos virados para nós – ri e America me acompanhou – Qual é mesmo o nome do cara que deu a festa?... Jack... Jason... – fingir não saber o nome ela revirou os olhos.
- Justin, Justin Bieber, o cara mais cobiçado daqui de Atlanta, o mais rico – ela disse se sentindo a dona do pedaço – Mas agora me fala – ela disse chegando bem perto de nós – O que adianta ir à festa, fazer o que vocês fizerem, e não pegarem o prato principal? – ela deu um sorriso muito maldoso. Então a vagabunda pegou o Bieber? – A ninguém aqui está um passo a frente.
- Você sabe que pra ele você é só mais uma vadia que ele comeu, certo? – Mare fez questão de esfregar na cara dela.
- Quem dera aquele homem tivesse me comido, mas eu pretendo dar isso a ele, só pra ver a cara de vocês – ela gargalhou.
- Piper, deixa eu te falar uma coisinha – cheguei bem perto dela, com a voz mais angelical do mundo. 
– Você não Sabe nem 0,1% da minha vida com a America, quem a gente fica, com quem a gente anda, aonde nós vamos. Garanto pra você que o Bieber e sua turma sabem nossos nomes, nosso histórico, tudo nosso, e seu? Ele sabe pelo menos a inicial do seu nome? – America deu uma risada tão alta que me fez rir também.
- Ai que você se engana, Skylar – ela disse cruzando os braços – Ele que me convidou – ela deu um sorriso largo.
- E te convidou para dormir na casa dele? – franzi o cenho e America me olhou sorrindo –Acho que não – a cara dela era a melhor – Abre o olho Piper, não quero ver você em festa nossa, por que se eu te ver eu juro por Deus que eu quebro seu nome e transformo ele na pior vadia do mundo, que todos aqueles caras, todos de Atlanta vão te odiar – falei firme – Fica a dica – falei peguei minha bolsa e America me acompanhou.
- E mais uma coisinha – America disse chegando perto dela novamente – Fica de boca fechada se não você perde os dentes também, tenho foto de você feito uma vadia na festa, não me importaria de mostrar pro seu lindo papai – ameaçou e ela apenas se levantou e saiu dali.
- Mandou bem! – falei feliz e fizemos nosso toque. – Foto? Cara você é a mais mentirosa do mundo – gargalhei e ela me acompanhou.
- Tem que botar pressão Skylar, ela não pode saber que eu namoro – ela balançou a cabeça negativamente – ela não pode saber sobre mim e Ryan e meu envolvimento com aqueles caras, nem que você entrou nisso agora – concertou sua frase e eu concordei.
- Também acho – falei – Vamos pra aula – falei e fomos andando para a sala da próxima aula.
Hoje seria a feira de ciências, que merda, meu grupo fez tudo, eu e a America não fizemos nada, então a gente teria que fazer alguma coisa hoje naquela merda, pra ver se ganhamos pelo menos metade dos pontos. Estávamos todos montando as estantes, meu grupo faria uma ligação elétrica entre uma melancia e um carregador de celular, e depois a melancia passando energia para uma lâmpada. Que merda. O que dá energia é vodka – pensei – pena que não bebo mais.
- Sky – America me cutucou.
- O que? – falei e me pus em meu lugar, pois os professores estavam começando a entrar, mais os visitantes.
- Ryan está me ligando, muito – ela disse tentando disfarçar, pois estávamos sendo observadas pelos professores. Sorrimos forçada. O vontade de mandar todo mundo ir pro inferno e vazar daquela merda.
- Manda ele tomar no cu – falei e ela fitou o chão.
- Para vocês duas de falar e presta atenção no trabalho – Pietro falou e eu o olhei com desdém.
- Meu filho, vai se foder – falei – Eu já passei em Física e química, não preciso dos pontos daqui – falei e ele me olhou torto. Sim, o pior é que eu não estudava, mas minhas notas não eram ruins, eu conseguia um pouco mais que media, em praticamente em todas as matérias, menos em algumas, claro, mas eu sempre consigo me virar.
- Bom dia, esse aqui é o nosso gerador de energia, todos sabem que frutas e vegetais trazem energia para o corpo humano e nos fortalece, mas a maioria não sabe é que essa energia podem se transformar em átomos que passam uma corrente elétrica para qualquer tipo de aparelho eletrônico, através de um cabo sendo receptor de energia – introduzi o trabalho e vi o restante do grupo ficar com os olhos cansados, pois sabiam que eu sou boa com palavras, e eu não havia feito nada. Que peninha.
- Como podem ver... – parei de ouvir o que o restante do grupo começou a falar e vi America com os olhos atentos em uma pessoa que chegou na entrada da sala.
- Não estou acreditando – murmurei e Ryan nos olhou sorrindo e America voltou seu olhar para o trabalho e falou o que tinha que falar, percebi que ela estava extremamente incomodada e sem saber o que fazer.
- Segura as pontas ai – falei para Maria uma amiga minha do grupo – Eu já falei o que eu tinha que falar, não quero e nem vou aparecer na droga da foto final, sei lá fala que eu tive problemas femininos – dei ombros e ela concordou e eu beijei sua bochecha – Por isso que te amo, Maria – ela riu e deu um tapa na minha bunda.
- Vai logo, doida – ela riu e eu sai puxando a America dali.
- O que ele está fazendo aqui?  - cruzei meus braços olhando firme para a America – Você o chamou?
- Não Skylar, claro que não, esse merda deve ter vindo para me  infernizar – ela disse passando a mão em seu rosto e respirou fundo.
- Só ignora a presença dele, não mostra pra ele que você ta suando frio – disse um pouco séria com tom de deboche e ela me olhou séria e se virou saindo dali. Bebi água no bebedouro e me virei dando de cara com o capeta.
- AI QUE SUSTO – gritei assim que o vi, por causa da sua cara feia e ele me olhou sério – Bem, que falam que os capetas ficam no inferno – ri – Olha o lugar que você está – apontei para o resto da escola e ele se manteve calado.
- Cadê a America? Eu vi ela vindo pra Ca – ele disse frio.
- Tenho cara de GPS? – o olhei da mesma forma – Se não percebeu estamos no meio de um trabalho, e ela ta fazendo o que ela tem que fazer, vaza garoto, ela não quer nada com você – falei indo sair dali quando ele me segurou. – Se eu fosse você, eu largava esse braço – falei com o olhar sério e apertou mais, começou a doer.
- Você acha que é a dona do pedaço sua vadia – ele disse apertando com mais força – Você acha que manda em alguma merda, mas não manda – ele esbravejou. – Se eu quiser acabar com você, acabar com essa droga de feira, acabar com a America, eu acabo – ele disse trincando os dentes.
- Mas eu pago pra ver – falei chegando bem perto de seu rosto e ele apertou mais meu braço. Agora ele vai ver.
Afastei meu corpo deixando o braço dele reto, segurando o meu e lhe dei uma omoplata, abaixei meu corpo, passei meu braço solto, por dentro do dele, segurei sua camisa e me virei de costa pra ele, e apertei seu braço para baixo. Ele logo soltou meu braço e deu um grito.
- VAGABUNDA – ele disse vindo pra cima de mim e eu segurei seu pescoço com força e apertei.
- Presta bem atenção no que eu vou te falar – falei e ele apontou sua arma na minha barriga – Você não me intimida, nem com a arma na minha barriga, eu não sou suas vagabundas que você bate e faz o que quiser, nem a America, eu vou defender minha prima e tentar afastar ela de você sim, por que você é um merda e não dá valor á ela – dei uma pausa e vi que sua expressão era de mais raiva ainda.
- Você é a vadia mais baixa que eu já conheci – ele disse destravando a arma.
- Você está no meio de uma escola, que é cheio de câmeras, quer mesmo continuar com isso? Eu sou a vadia mais baixa e você é o tranficantizinho mais merda que eu já vi, covarde – falei e o empurrei.
- O que é seu está guardado, garota, não perder por esperar, eu vou matar você, Skylar, eu vou matar você– ele disse e eu nem dei ouvidos e sai dali. Mas eu não poderia dar bobeira, esses caras nunca brincam quando falam as coisas. Já me provaram isso!
Voltei para exposição e fiquei ao lado de America, que estava com humor pra baixo.
- Se você ficar assim, eu vou te matar – murmurei enquanto eu entregava panfletinhos para o pessoal que passava.
- Olha – ela disse e eu olhei pra frente e o Ryan estava conversando, sorrindo, e abraçando Piper, provavelmente eles se conheceram na festa, ou já se conhecia... - Eu vou matar aquela vadia, Skylar – ela disse apertando os folhetos em suas mãos e os professores olharam estranhamente.
- É... Ela ta brincando – falei tomando os folhetos da sua mão e ela suspirou fundo e deu um sorriso forçado
- O que ela ta fazendo com ele? De onde essa vaca o conhece? – ela perguntou me puxando dali e os folhetos caíram num quanto qualquer.
- Calma America! – falei e quando eu pisquei, a boca dela estava colada com a do Pedro. Meu Deus do céu. Olhei para Ryan, que estava soltando fogo pelas narinas. Pedro teria que tomar cuidado agora!
America olhou para Pedro, que não estava entendo nada, mas eu fiz uma cara feia pra ele e ele entendeu o recado, e abraçou America e levou ela até a nossa exposição. Ryan era um idiota, ele estava dando umas escondidas apertadas na bunda de Piper, que nos olhava como se tivesse ganhado na loteria. Eu vou ter que colocar essa vadia no lugar dela. Quando os professores a olhavam sempre se safava, manteve distancia do Ryan e ficava dando gargalhadas. Idiotas.
Pedro me levou dali e ficou me perguntando o que havia acontecido, eu expliquei pra ele que tinha um cara que ela estava afim que estava dando encima de outra garota, ai ela quis o provocar. Pedro não liga pra essas coisas, ele ficou feliz e queria saber quem é o cara, pra ele beijar a America mais.
Eu fui ajudar o Pedro com o estande dele, pois minha parte eu já tinha feito. Estávamos guardando as caixas com os aparelhos que eles usaram, quando eu o ajudei fui para a minha estande e comecei a limpar e guardar as nossas coisas, que, aliás, nosso grupo havia ganhado. Pena que eu realmente não estou nem ai.
- Maria, cadê a America? – perguntei estranhando que estava todo mundo ali menos ela.
- Não a vejo a um bom tempo, Skylar – ela disse ajeitando seus óculos – Ela saiu daqui e não voltou – ela disse e eu me lembrei do Ryan ali, que agora não estava mais ali.
- Ok, obrigada – falei e me virei pegando meu celular e discando o numero dela. America não atendia, eu já estava ficando preocupada, procurei no banheiro, procurei nas salas, secretaria, e perguntei algumas pessoas se havia visto ela e todos negaram. PORRA.
Peguei meu carro e fui para a estrada, fiquei pensando pra onde eu iria, eu fiquei me perguntando se eles estariam na casa do Ryan, mas seria fácil, eu iria lá e faria uma briga com ele.  Então pensei na casa do Justin, comecei a dirigir para a casa do Bieber e estacionei meu carro na porta na hora que eu cheguei. Tinha uma barreira de seguranças que me pararam assim que cheguei perto do grande portão.
- Não pode entrar sem uma autorização - ele disse colocando seu braço de distancia entre nós dois.
- Então fala com o, Bieber que é a Piper – falei revirando os olhos e ele pegou um rádio na sua cintura e disse:
- Senhor? Tem uma garota chamada, Piper, que quer falar com o senhor – ele disse e eu ouvi Justin dizer:
- Mande-a entrar – ele disse e ele liberou minha passagem. Ridículo, então ele conhece mesmo a Piper? Agora eu senti uma pontada de raiva e curiosidade em relação a isso, por que em todas as festas que eu já fui eu mirava o Bieber, sempre eu ficava fascinada com seu modo de viver, eu era fascinada pelo luxo, pelo seu jeito, pela sua forma de olhar para as pessoas, tudo. E agora eu descobri que essa vagabunda anda dando pra ele.
Abri a grande porta e dei de cara com o Bieber esparramado no grande sofá branco de sua imensa sala.
- O que você está fazendo aqui? – Ele se levantou estranhando, já entregou que sabe onde está America. – Você disse que era a Piper... Você conhece a Piper? – ele disse sério enquanto eu apenas ignorava.
- Conheço aquela vadia sim, mas eu estou aqui pra achar a vadia do seu amigo – respirei fundo e ele se manteve sério, o pior dessa sua expressão é que você não sabe o que se passa em sua cabeça, mas eu o olhando dá pra perceber que ele estava tentando não demonstrar que sabe de algo.
- Não sei do que você está falando – ele disse cruzando os braços – Agora já pode ir embora – ele disse apontando para a porta.
- Ah não estou afim – falei sorrindo – Ah não sabe onde ela está? – me aproximei dele – Então pode me explicar, por que o telefone da America está ali? – apontei para mesa de centro, com o telefone dela com a capinha que eu dei pra ela.
Ele olhou para o lado e coçou o rosto e eu olhei para a escada e comecei a correr para a escada e senti-o vir atrás de mim ai eu corri mais. Ouvi uma gritaria como se fosse uma discussão, então eu sabia que eles estavam por ali. Bieber chegou e me puxou pela cintura e rodeou seu braço em minha cintura e me apertou me prendendo de sair dali.
- Eu vou te quedar e você vai achar ruim, vai vim falando que quer me matar, mas você está pedindo por isso – falei tentando me soltar e ele me apertou mais. O desgraçado estava era aproveitando.
- Você acha que chega a minha casa e faz o que quiser vadia? – ele disse com sua voz rouca perto do meu ouvido, seguido com sua arrogância diária.
- Vadia é a sua mãe! – falei me soltando dele em um movimento só e ele tentou me pegar novamente e quando eu fui abrir a porta, Justin me pegou no colo me colocando sem suas costas de cabeça para baixo e eu o esmurrava querendo descer.
- ME TIRA DAQUI – gritei o acertando – AMERICA – gritei e ele abriu a porta de um quarto e me jogou com brutalidade em cima da cama – CRETINO – eu o empurrei e tentei me levantar e ele me jogou na cama novamente.
- Eu tenho todos os motivos para acabar com você – ele trincou os dentes para falar comigo – Você chegou aqui falando que é outra pessoa – ele disse pegando meu rosto e me forçando a olhar pra ele - NINGUÉM MENTI PRA MIM VADIA – ele esbravejou com sua voz grossa e soltou meu rosto com brutalidade, senti uma dor muscular enorme.
- JUSTIN VAI TOMAR NO OLHO DO SEU CU – gritei e me levantei e ele me empurrou na cama novamente com força e eu perdi a cabeça. Fui até ele e foi a minha vez de jogá-lo lá com força e ele me puxou e me virou na cama ficando por cima de mim e prendeu meus braços. Como o colchão era macio e suas mãos apertavam com força meus braços, eu não conseguia fazer muita força, eu me rebatia e tentava o morder – PARA GAROTO, IDIOTA – Estava tentando fazer todas as forças possíveis até que eu cansei e comecei a suspirar fundo e rápido. Eu havia perdido o fôlego.
- Parou de graça agora? – ele disse firme olhando para meu rosto, eu provavelmente estava muito vermelha de raiva – Eu gosto das bravas, mas você é mais que brava, você é atrevida - ele deu uma risada e eu mordi com força seu braço  - DESGRAÇADA – ele disse e acertou um tapa forte na minha cara. COMO É QUE É?
- NINGUÉM. BATE. EM. MIM – falei e lhe acertei um murro no ombro e o virei na cama e imobilizei seus braços e comecei a apertar seu pescoço, mas Justin era mais forte que eu e logo ele me tiraria dali e me quebraria, mas não vou recuar – NÃO OUSE A BATER EM MIM SEU FILHO DA PUTA, EU NÃO SOU SUAS VADIAS, ESTÁ ME OUVINDO? – ele estava ficando vermelho e eu soltei seu pescoço e ele veio pra cima de mim e me jogou  no chão com força, mas ele não contava com eu o puxar junto, fazendo-o com ele que caísse em cima de mim novamente. Minha costa se chocou com o chão e senti de leve uma falta de ar, mas me coloquei novamente no padrão  e ele disse: 
- VADIA CRETINA – ele disse com seu olhar demoníaco – NINGUÉM ME AFRONTA, NEM MESMO UMA LUTADORA, VOCÊ SABE LUTAR E BATER, MAS TEU PEITO NÃO É DE AÇO, A BALA ATRAVESSA SEM VOCÊ FAZER SEQUER UM MOVIMENTO, TE LIGA – ele gritou e senti-o apertando minha cintura com TANTA força, que provavelmente ficaria roxo. Aquilo doeu pra caralho.
- MAS ENQUANTO EU PUDER LUTAR EU VOU E BATER EM IDIOTAS COMO VOCÊ, QUE GERALMENTE TEM O EGO LÁ ENCIMA – cuspi as palavras – POIS É, ESSE TIPO DE GENTINHA EU ACABO SEM DÓ – falei bem próximo do seu rosto com a vontade de intimida-lo. A raiva estava me consumindo, eu queria matar aquele merda.
- E VADIAS COMO VOCÊ EU TAMBEM ACABO SEM DÓ E NÃO É DE HOJE QUE VOCÊ ME IRRITA – ele disse e apertou meu rosto com muita força e se levantou indo até a porta. Gostoso. 
- Eu ainda vou te irritar mais – levantei e me ajeitei e ele apenas saiu e me trancou ali. Tentei correr, mas já era tarde. – ABRE ESSA PORRA, JUSTIN! – esmurrei a porta. – JUSTIN EU VOU DERRUBAR ESSE CARALHO – gritei e nada ouvi como resposta.
VAGABUNDO, CRETINO, OTÁRIO.
Sentei-me no chão com raiva e eu respirei, mantive a calma e fui ao banheiro que tinha ali e lavei meu rosto e me joguei na cama tentando me acalmar. Eu estava à flor da pele para matar um hoje.
- JUSTIN EU VOU ARROMBAR ESSA PORTA AGORA – voltei a porta e lhe dei um chute tão forte, que sua lateral começou a rachar, dei outro e outro, um após o outro e o barulho estava extremamente auto, até que...
- VOCÊ É LOUCA? – Bieber entrou olhando chocado para a porta e eu me mantive séria.
- Você que é louco de me trancar em um quarto – me defendi
- Olha o que você fez com a droga da porta – ele apontou pra mesma
- Você procurou – dei ombros e ele veio em minha direção e eu fui andando para trás até eu me sentar na cama.
- Vou te dar o que merece, vadia maldita – ele pegou meu rosto e me empurrou deitada na cama e quando me tentei levantar e me arredar, ele veio pra cima novamente, Justin atacou meus lábios com precisão e fúria, ele apertou minha coxa tão forte que saiu um gemido alto da minha boca.DESGRAÇADO FILHO DE UMA PUTA. Sua língua entrou na minha boca e eu aproveitei aquela porra de momento para ter mais uma porra de motivo para jogar na cara da Piper. O beijo ficou extremamente quente nossos rostos estavam sincronizados em lados opostos, nossas línguas ágeis proporcionava arrepios em mim. Esse homem é um perigo para qualquer mulher.  Minha mão foi nas suas costas nua e eu dava leves apertadas que o fazia arfar entre o beijo, minhas pernas rodeava seu quadril e sua mão dava leves massagens em minhas coxas e quadris.
Separei nossos lábios por falta de fôlego e falei:
- Sabe por que você sempre recaiu e acaba me beijando? – falei e seus olhos estavam perdidos por tanta excitação.
- Por quê? – ele disse indo de encontro ao meu pescoço. Repito: Homem é fraco mesmo. Sempre foi e sempre será. Ele esquece qualquer raiva de minutos atras, para pegar em um corpo.
- Por que você adora meu jeito agressivo e minha personalidade forte – peguei seu cabelo com força e o fiz me olhar – Você sente uma excitação da porra, quando eu o enfrento, e você se estressa, mas na verdade você quer é algo muito melhor que bater – mordi meus lábios e ele os atacou novamente. FRACO, MAIS FRACO MESMO. Homem pode ter a raiva que for, sentiu excitação, come até as coroas.
- Eu te acho gostosa, isso sim – ele disse andando com sua mão até a barra da minha blusa, ameaçando a tirar, mas eu logo acabei com suas expectativas e desci minha blusa novamente. Sua boca foi para meu pescoço, mesmo eu tentando evitar, mas porra, aquilo era tão bom. Eu fechei meus olhos e me deliciei do momento.
- VAMOS EMBORA, SKYLAR – America apareceu com os braços cruzados na porta e eu empurrei Justin com força de mim e me levantei.
- Mas você me deve uma explicação – falei brava
- Te conto no caminho – ela disse séria, pelo visto era sério mesmo.
- America sempre estragando tudo – Justin disse a olhando e se levantou. – A gente vai terminar isso, garota – ele disse apontando para mim.
- A gente não começou nada – falei dando um sorriso safado e vi ele me encarar com um pequeno sorriso no canto do seu rosto.
- Então a gente começa – ele murmurou segurando a minha cintura
- Vou te esperar lá embaixo – ela disse saindo do quarto.
- EU TO INDO – falei me soltando de Justin, que me segurou com mais força ainda.
- Skylar... – ele sussurrou no meu ouvido.
- Olha, ele sabe meu nome, já estava pensando que meu nome era Vadia, de tanto que você me chama assim – falei sínica.
- Skylar é seu segundo nome – ele piscou e eu revirei os olhos. – Nenhuma mulher – ele disse olhando nos meus olhos. – Vem aqui, me excita e sai como se nada tivesse acontecido.
- Pra tudo tem uma primeira vez – sorri irônica – Chama a Piper que ela termina o serviço. – falei e me soltei por completo dele.
- Cismou com a Piper, hein? Ciúmes? Ou acha que a America me contou que você é louca comigo desde sempre? – me virei lentamente para ele, para dar AQUELA resposta e já bolando quais partes da America eu arrancaria primeiro.
- Justin, seu ego devia abaixar um pouco, por que você não é nem o dedo do pé dos caras que eu fico – sorri sínica e prossegui – Você tem dinheiro, mas não tem pegada, é bonito, mas não me excita, eu teria ciúmes se você pelo menos significasse um pouco de lixo na minha vida, mas não, você é só mais um bosta tanto pra mim tanto pra qualquer outra garota, a única diferença é que elas te querem a todo custo pela faminha que elas terão, e eu? Só te deixo na vontade e não faço questão nenhuma, por que pelo fato de você toda vez que me ver me atacar com toda essa vontade... Se eu quisesse te pegar em qualquer outra festa, eu já teria feito isso, então me encare como um desafio que você não vai vencer – mandei uma piscadela pra ele e sai do quarto e desci as escadas com certa pressa. Eu sentia que ele estava vindo feito uma fera atrás de mim. 
- Vamos America, eu esquentei a fera – ela arregalou os olhos e entramos com pressa.
- VADIA – ouvi seu grito.
- VAI AMERICA! – gritei rindo e ela deu partida e saímos de lá gargalhando.
De uma coisa eu tenho certeza... Agora Bieber vai querer me provar ao contrário a todo custo, na marra, na bravura, na grosseria, no prazer. Matar-me vai ser a última coisa que ele faria, antes ele vai querer me devorar, muito bem devorado. Por que homem é a mesma coisa, se você faz tudo que ele quer, ele acha que é seu dono, agora se você se mostrar superior, ele te encara como o objetivo de vida dele. Era isso que eu sempre fazia com os caras que eu queria ficar, eu maltratava, provocava e todos eles ficavam a mercê de mim, me enfrentavam, e no final acabávamos nos beijando loucamente em qualquer lugar que estivéssemos. Bieber agora é meu próximo alvo, por que eu quero esse cara, quero provar de tudo que ele tem saber de tudo que eu quero saber, tirar minhas duvidas e minhas vontades, depois ele faz o que quiser, pelo menos assim, eu morro em paz.

Oiii gatas como estão? Espero que tenham gostado do capitulo e vim pedir uma coisinha,
COMENTEM MUITO, POR QUE A FANFIC É MOVIDA A COMENTÁRIOS.
Obrigada a todos que estão acompanhando, não esqueçam de seguir o blog, e que a fic é atualizada todos os dias, mas não esqueçam que tem que ter comentários pra isso. Me falam o que estão achando POR FAVOR. 
Beijoooos da Mandsxx!!!!!

BLOGS ATIVOS:

8 comentários

  1. Eu estou amando o rumo da história.por favor, continua logo. Bj

    ResponderExcluir
  2. Tá muito bom continua logo tô ansiosa😘

    ResponderExcluir
  3. quero mais plamrdds,esse versao.ta muito melhor scrr
    posta hoje nunca te pedi nada

    ResponderExcluir
  4. QUE FANFIC MARAVILHOSAAAA, JA ENTROU PRA LISTINHA DE FAVS, que capítulos são esses? Já começou pegando fogo desde o primeiro, sem enrolação gosto assim!!!! Você escreve bem demais! Por favor continua.

    ResponderExcluir
  5. "Homem ten que maltratar" boa dica
    Capítulo MARA
    Bjs

    ResponderExcluir