01/01/2015

Capitulo 1 - Escolha Perfeita

Fanfic / Fanfiction Escolha Perfeita - Capítulo 1 - I dont want to go

Rebecka Boss P.O.V
- Precisamos que vocês se entendam - ela me acompanhou até chegar ao meu closet - Não estou pedindo para serem melhores amigos, apenas que se suportam e se respeitam na presença um do outro - minha mãe tentava me convencer a conversar com o Bieber! Ela me olhou bem fundo e suspirou. Queria fazer isso por ela, mas não consigo e não quero.
- Mãe! - falei passando a mão no rosto cansada daquele assunto - Não gosto daquele garoto, você sabe disso. - falei com a minhas mãos pousadas na cintura - Que saco! - reclamei e voltei a arrumar meu Closet.
- Rebecka - ela disse puxando meu ombro -  Entenda filha, a empresa precisa mostrar amor entre todos nós, estamos participando de um evento de caridade que valerá fortunas, e nossa família e os Biebers, são fundadoras desse projeto, por favor não complica as coisas - seus olhos imploravam para me concordar com tudo que ela falava e eu sentia pena, pois eu me sinto mal  vendo minha mãe mal - Pattie, Jeremy e Justin virão jantar aqui hoje - a olhei incrédula - Com o objetivo de vocês se entenderem e sei lá - ela agarrou nas palavras - verem que conseguem se suportar, apesar das diferenças - bufei, eu estava sendo cogitada a aceitar.
-Tá,Tá mãe! - falei sem nenhuma emoção e ela sorriu e me deu um beijo melado na bochecha
- Obrigada, filha - agradeceu e se virou saindo do quarto e em seguida ouvi a porta bater 
Ter 17 anos e morar em Los Angeles, em uma mansão, enorme para apenas três pessoas, eu, meu pai e minha mãe, é EXAGERO, mas eles não me escutam... Não ligo se eles são donos da empresa Kroger, eu só queria viver sem ter que depender da imagem deles, a afiliação a empresa JBT, empresa dos Biebers, complica mais ainda, e eu tenho pavor do filho deles, Justin, quando falam seu nome, lembro de uma vez que ele me trancou em um quarto por dois dias, só por que eu tinha ficado com o amigo dele o Ryan, e ele gostava de mim, mas ninguém sabia, ele ficou nervoso e com muito ciúmes, ele sempre ficava me implicando, isso me dá tanta raiva. Tínhamos 13 anos. Tenho dois meses que não o vejo. Graças a Deus!
Meu Telefone tocou
-Alô? – atendi sem animo e ouvi uma risada.
- Becky, avisa sua mãe, que estamos chegando em duas horas, minha princesa - percebi ser Jeremy. Eles viriam mesmo, que merda.
- Aviso Sim - ele agradeceu e desligou. 
Já que chegariam daqui poucas horas, decidi tomar um banho, a água descendo pelo meu corpo era muito mais confortante do que ficar sentada em uma mesa olhando para cara de Justin. Quando acabei, troquei de roupa, colocando algo simples porém lindo. 
Ok, não tao simples assim. Eu sei que ele se morde, quando me ver assim.
Maquiei e vi que estava lindo, então já podia ouvir pessoas conversando lá embaixo. Bufei e desci as escadas e senti os olhares se virarem para mim, minha bochecha corou, meu pai sorriu e me deu a mão.
- Como está linda! - Jeremy disse me dando um abraço.
- Obrigada - sorri agradecendo.
- Que Princesa, esta muito linda, querida - Pattie me elogiou, sorrindo.
- Você que é - rimos juntas.
- E aqui está Justin, Becky - meu pai me direcionou a ele. 
- Hm... Oi Becky - Justin falou seco e eu sorri sarcástica. Não ia demorar a começarmos a discutir.
- Oi - falei no mesmo tom e vi nossos pais se entreolharem. Já era de se esperar, como eles acharam que poderia ser diferente?
- Então, vamos jantar - minha mãe tentou quebrar o clima, todos começamos a caminhar até a cozinha e deixaram eu e Justin pra trás. Idiotas.
Comecei a caminhar em direção a cozinha e Justin quase me jogou no chão, andando na minha frente. Outro idiota.
- Que cavalheirismo - disse irônica.
- Se manca garota - respondeu e saiu andando na frente e se sentou. Depois ainda me pergunta por que não o suporto. 
Na mesa me sentei ao lado do meu pai, de frente para Justin e Jeremy – observei - e nossas mães batendo papo na ponta da mesa. Nada que eu queira ouvir. Nos servimos e estava tudo calado.
- Então, vai ter uma coletiva – Ouvi uma voz feminina - e o que acham de Justin e Rebecka representarem a empresa? - Pattie falou e eu quase cuspir o que estava comendo. 
não, não, não, não, não - pensei 
- Seria uma ótima ideia! - Minha mãe linda respondeu. Obrigada mesmo mãe. De coração, eu queria muito fazer isso. 
- O que acham disso? - Meu pai perguntou olhando para mim e Justin.
- Quer mesmo que eu responda? – respondi revirando os olhos.
Ele me deu um olhar repreendendo o que eu havia dito e Justin bufou alto, e sabia que ele estava na mesma situação que eu. 
- Qual é? Precisa ser mesmo a gente? - Justin se pronunciou fazendo uma careta de tédio. 
- Sim - Minha linda mãe Regina respondeu. Mão você só fala o que não presta.
- Não queremos fazer isso - respondi insistindo. 
- Eu quero fazer isso - Justin disse e deu uma pausa - Mas não com você.
- Se manca garoto - repeti sua fala de mais cedo e ele me metralhou com o olhar.
- Pattie? - minha mãe a chamou - Me ajuda numa coisa na cozinha? Te mostrar receitas que eu peguei na internet - Pattie assentiu e elas foram,
- Jeremy, eu tenho que te mostrar alguns contratos rapidinho, vamos lá - Jeremy se levantou e o seguiu meu pai.
- Você sentiu o que eles fizeram né? - Justin falou me olhando. 
- Sim - respondi mexendo em meu celular e não o olhando. Se não eu vomitaria, o cara ela maravilhoso, mas seu jeito me dá nojo. Se ele fosse um pouquinho mais educado, a conversa era outra, a boca dele na minha e a minha na dele. Mas ele não coopera. 
- Eu não quero fazer isso com você, não sei por que eles insistem tanto - Justin falou e bufou. Ele adorava um grama.
- E você acha que eu quero fazer com você? - falei arqueando a sobrancelhas com cara de deboche. Sei que ele fica irritado quando eu faço essa cara. 
- Você me irrita garota! – Ele disse e eu gargalhei.
- Igualmente metido! - respondi no mesmo tom e eu direcionei meu olhar diretamente no dele.
- É impossível conviver com você, mimada, e olha o jeito que você fala de mim - se alterou 
- Olhar o que? o que você vai fazer, gato? Me bater? - O enfrentei, meu rosto pegava fogo.
Quando percebi ja estávamos gritando. 
- JA ESTÃO BRIGANDO DENOVO? - meu pai chegou gritando - VOCES DOIS ESTÃO PARECENDO CRIANÇAS – Ele deu uma pausa e eu me assustei do jeito que ele estava, geralmente eles só ignoravam minhas discutições com o Justin. - E EU JÁ ESTOU CANSADO DISSO – Ele bateu na mesa – EU TINHA CONVERSADO COM O JEREMY SOBRE A INGLATERRA, E ESTÁ DECIDIDO. VOCÊS VÃO PARA UMA ESCOLA INTERNA NA INGLATERRA, AONDE NÓS FOMOS EDUCADOS - o olhei chocada. Não. Não eu NÃO poderia estar escutando isso. Tudo por causa desse viado.
- Sem querer ser estúpido, mas o senhor não manda em mim - Justin falou se referindo ao meu pai. 
- Mas eu mando - Jeremy disse autoritário - E você vai também.
- VOCES NÃO PODEM FAZER ISSO - me alterei olhando para eles com desprezo.
- Podemos e vamos! Vocês estão acabando com a imagem das nossas empresas com essas brigas fúteis, na frente da mídia, em jantares, em festa, em eventos... Vocês brigam na frente de todos – meu pai disse e eu apenas bufei e cruzei meus braços, de relance olhei para Justin e ele estava em tempo de matar alguém. Bieber se for nossos pais eu te ajudo - Estamos tentando de tudo, com os jeitos mais fáceis com vocês, para terem uma convivência boa, estamos ajudando uma caridade precisamos de apoio e vocês, que são futuros herdeiros, e simplesmente não fazem nada para ajudar, só pioram, e já no colégio vocês vão aprender a se comportarem querendo ou não, vão ter que conviver juntos querendo ou não e não vão manchar o nome da nossa Campânia, como fazem sempre na pior hora. - Meu pai falou e eu me assustei com seu tom.
- Pai, por favor - tentei impedi-lo dessa decisão.
- Por favor, nada! Vocês vão pra lá ainda essa semana, começo de ano e vão aproveitar seus ultimo ano se suportando, então despedem de quem quiserem e comecem a arrumar as malas de vocês. 
- Mãe ? - Justin chamou Pattie, para tentar nos ajudar.
- Estamos fazendo isso para o bem de vocês – respondeu com um semblante sério.
- Ou pela empresa? – Rebati.
- Por vocês - minha mãe me respondeu - Pra vocês crescerem, tomarem juízo, esquecer esses mimos e começarem a agir como adultos.
- Vocês são ridículos – Falei desprezando aquele assunto e me virei subindo para meu quarto. 
Não acredito que eles seriam capaz disso, que porra! Não tenho culpa se aquele garoto é um idiota sem coração, hipócrita, tudo de ruim. Eu não quero ir, não quero deixar minhas amigas aqui, mesmo sendo todas falsas que só estão andando comigo por que meus pais são ricos... vou sentir falta, das festas, das compras, da minha casa. De tudo.
- QUE PORRA - Gritei com raiva dentro do meu quarto e ouvi baterem na porta. 
- QUEM É? - gritei com ignorância.
- O amor da sua vida - respondeu de fora e eu revirei meus olhos, o que esse idiota veio fazer aqui?
- O que você quer? – falei abrindo a porta e escorando na mesma.
- Você não quer ir, não é mesmo? Pois é. Nem eu - ele falou sem me deixar responder. 
- Eu tenho um plano - O olhei por alguns minutos e o dei passagem para entrar em meu quarto.
- Qual é? - perguntei interessada no assunto.
- Vamos fingir que achamos um papo e que estamos conversando, pra eles, eu não sei, vamos descer conversando, rindo você me perguntas umas coisas, para eles perceberem, ai a gente vai na cozinha e se senta, para eles nos notarem - falou dando ombros. 
- Tento qualquer coisa de última hora, garoto, até te beijo se for preciso, mesmo eu tendo que lavar minha boca depois com álcool - falei e ele revirou os olhos e travou o maxilar, ele fica sexy quando faz isso.
- Não quero beijo seu, mas se for preciso tem que fazer né – deu ombros – E eu faço transplante de língua. Apenas sorri falsa, e abri a porta e fomos em direção á escada.
- Eu te odeio - ele falou sorrindo quando chegamos a sala. 
- Eu também te odeio - ri logo em seguida. 
- Serio isso? - ele falou rindo e Jeremy direcionou seu olhar para nós. Isso.
- Juro que é verdade! - falei soltando um sorriso ele me acompanhou.
- Só você mesmo - ele disse passando seu braço em meu ombro e eu lhe dei um tapa em seu braço, todos olharam para gente com cara de “O que está acontecendo?”
- Vem vamos comer algo - o puxei par a cozinha e saímos da visão deles. 
- Ai! Saí garoto, que nojo - falei saindo de perto dele e me recompondo. 
- Fomos muito profissionais - ri - Deveríamos fazer um filme de falsidade.
- Talvez... – dei ombros.
- Qual é a de vocês dois? - Meu pai chegou perguntando e cruzou os braços, eu claro fiz cara de desentendida. 
- Como assim? – perguntei colocando um morando na boca. 
- Depois que falamos que vocês iriam para a escola interna, vocês descem rindo? - falou arqueando as sobrancelhas.
- Ah não, é que a Rebecka disse que não queria ir para a Inglaterra, por causa do menino que ela está pegando, toma cuidado hein senhor Robert – O olhei incrédula. Caralho ele queria ajudar ou piorar?
Menino desgraçado.
- Como é Rebecka Ross? - Meu pai falou trincando os dentes.
- Mentira dele pai, eu não falei isso momento algum – me defendi - Garoto qual é a sua? - me virei para ele, morrendo de raiva e ele só sabia rir - Nossa está muito engraçado, todo mundo gostou dessa sua piada sem graça – disse me alterando.
- Eu achei graça da sua cara - ele falou tentando controlar o riso. 
- Vai tomar no cu, Justin – explodi mandando o dedo do meio pra ele.
- Você acha que é quem, garota, pra falar comigo assim? - ele ficou bravo e veio ficar na minha frente.
- SABIA! O QUE É BOM DURA POUCO - Jeremy chegou entrando na cozinha.
-Também acho - Pattie concordou passando as mãos no ombro do marido. 
- Tudo culpa sua - Falei olhando para o retardado mental que estava parado na minha frente
- Minha culpa nada! - se defendeu. Não imagina.  
- Está decidido de vez, amanha mesmo vocês já vão para a Inglaterra! – Meu pai disse apontando para nós.
 - Amanha três horas da tarde vamos leva-los ao aeroporto - Jeremy falou e eu olhei para Justin com o olhar mortal e ele retribuiu. Ele ia pagar caro.
- Vocês vão se arrepender disso - trinquei os dentes olhando para todos eles.
- Se ousarem a fazer qualquer coisa que nos prejudique, não vamos liberar vocês nos fins de semana, nem mandaremos dinheiro, então vocês quem sabem - meu pai falou. Outro que ia pagar caro.
Jeremy pegou a chave do carro e Pattie sua bolsa e chamaram Justin. 
- Vamos Justin, você tem que arrumar suas coisas - Pattie falou e ele bufou.
- Eu vou te aterrorizar naquela escola – sussurrou ao pé do meu ouvido, enquanto todos saíam dali.
- Te digo o mesmo - pisquei e eles se foram.
Nem falei nada, fui para meu quarto arrumar minhas coisas. Não queria mais conversa com meus pais, mas eu sei que faria da vida do Justin um inferno, e que ele ia se arrepender. Alias não tenho  nada a  perder.
Prepara-se Bieber.
.......................................................
CONTINUAAAA?

5 comentários

  1. Adorei o 1° cap 👏👏 Leitora fiel 💮✅✔ kkk adoro suas fics ,msm comentando só "Continua" rsrs

    ResponderExcluir
  2. Olá, poderia divulgar meu blog por favor? Se quiser posso divulgar o seu também, é só avisar lá http://fanfics-bizzleee.blogspot.com.br/
    Agradeço desde já
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. Esse IB tem tudo para dar certo.:)
    Continua Flor, Ta maravilhoso sua IB ;)
    Beijos:*
    VictoriaVelloso (http://victoriaimaginebelieber.blogspot.com/)

    P.S: Divulga? Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
  4. Aloo então leitora do futuro aqui akakaka
    Enfim eu li a sua fic ja faz um tempo mas me esqueci tudo e decidi lê-la novamente e eu gosto muito dela bjj💕

    ResponderExcluir